ONG registra morte de 135 pessoas em regiões de cessar-fogo na Síria

Cairo, 5 mar (EFE).- Pelo menos 135 pessoas morreram nos primeiros sete dias do cessar-fogo que entrou em vigor em algumas regiões da Síria em 27 de fevereiro, informou neste sábado o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Em comunicado, a ONG explicou que, do total, 45 são combatentes das facções rebeldes e islamitas. Há também 32 civis, entre eles sete menores de 18 anos e sete mulheres. Além disso, estão entre as vítimas 25 membros das forças leais ao regime sírio e 33 integrantes das Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG), da Frente al Nusra - filial da Al Qaeda na Síria - e de outros grupos armados.

A maior parte dessas pessoas perdeu a vida em bombardeios aéreos e enfrentamentos em regiões que o cessar-fogo está em vigor: nas províncias de Latakia e Aleppo, e em Ghouta Ocidental e Oriental, localizadas na periferia de Damasco.

Por outro lado, o Observatório indicou que 552 pessoas morreram no período nas zonas não contempladas pela trégua, em sua maioria controladas pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI). Elas estão localizadas nas províncias de Al Raqqa, Aleppo, Hama e Homs.

Entre os mortos estão 58 civis, 89 do regime sírio e 282 do EI.

O Crescente Vermelho e a Organização para a Coordenação de Assuntos Humanitários da ONU (OCHA, na sigla em inglês) informaram que 23 caminhões com alimentos e produtos médicos chegaram às localidades de Ein Tarma, Hazen el Saqba, ambas em Ghouta Oriental.

O cessar-fogo não foi declarado em todo território sírio, já que grupos como o EI e a Frente al Nusra se negaram a concordar com tréguas nas zonas que estão sob o seu controle.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos