Bombardeio líbio sobre grupos jihadistas em Sirte deixa 18 mortos

Trípoli, 7 mar (EFE).- Pelo menos 18 pessoas, entre elas vários possíveis comandantes do braço líbio da organização terrorista Estado Islâmico (EI), morreram em bombardeios aéreos sobre os arredores da cidade litorânea de Sirte, informaram nesta segunda-feira à Agência Efe fontes de Segurança na cidade vizinha de Misrata.

Segundo seu relato, aviões de combate pertencentes às forças nacionais líbias atacaram no domingo vários alvos em uma zona agrícola próxima a esta cidade mediterrânea, amplamente controlada por grupos fanáticos armados e antigos membros do regime de Muammar Kadafi, derrubado em 2011.

"Um total de 18 jihadistas do Daesh (acrônimo que é utilizado em árabe para se referir ao EI) no ataque aéreo lançado ontem à noite contra oposições do Estado Islâmico contra a cidade de Sirte", afirmou a fonte, sem precisar que supostos comandantes fanáticos morreram na operação.

A fonte revelou, no entanto, que entre as vítimas mortais está um comandante do antigo regime, identificado como Mohammed Hasayer Kadafi, enquanto seu colega Al Zeruk Kadafi, ficou ferido.

Um responsável local garantiu que mais de 120 famílias foram obrigadas a se deslocar e abandonar suas casas na cidade de Bani Jawad, vizinha a Sirte, principal reduto do EI no litoral do Mediterrâneo.

Segundo seu relato, a citada cidade ficou sob controle total da braço líbio do EI, que forçou os comerciantes a fechar suas lojas, em particular os quiosques que vendem cigarros e música, assim como as cafeterias.

Além disso, outros 11 supostos jihadistas morreram nos últimos dois dias em combates travados ao sul da cidade de Ajdabiya, situada cerca de 120 quilômetros ao leste Sirte, cidade na qual Kadafi nasceu e morreu linchado por uma multidão.

A Líbia é um estado fracassado, vítima do caos e da guerra civil, desde que em 2011 a Otan contribuiu militarmente à vitória dos rebeldes sobre o agora extinto regime ditatorial.

Nos últimos anos, os jihadistas aproveitaram o conflito político e militar entre os governos rivais de Trípoli e Tobruk para se assentar em diversas partes da Líbia, instalar um reduto no porto mediterrâneo de Sirte e estender a instabilidade ao resto do norte da África, e especialmente à Tunísia.

Hoje, pelo menos 34 pessoas morreram e várias mais ficaram feridas na cidade tunisiana de Ben Guerdan em um ataque de jihadistas que se infiltraram desde a vizinha Líbia e trataram de assaltar vários alvos de Segurança tunisianos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos