Cameron reitera que britânicos não terão que participar de processo de asilo

Bruxelas, 7 mar (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, voltou a dizer nesta segunda-feira, com o propósito de incentivar o "sim" no referendo sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia (UE), que, graças ao status especial do país, os britânicos não terão que a aderir ao processo de asilo europeu.

Cameron, que participa da cúpula extraordinária que a UE realiza primeiro com a Turquia e posteriormente com os 28 Estados-membro sobre a crise de refugiados, afirmou que é "importante garantir a segurança das fronteiras exteriores da Europa", e que é por isso que o Reino Unido está enviando "embarcações maiores" à missão da Otan no Mar Egeu, conforme já anunciou o Downing Street.

No entanto, ele destacou que, apesar deste apoio à UE, o Reino Unido "tem um status especial", porque não pertence ao espaço livre de fronteiras internas Schengen, e possui as próprias fronteiras.

"Desta maneira, as pessoas que vem à Europa não poderão vir ao Reino Unido", ressaltou o líder, que enfatizou que o país tem um acordo muito sólido de não participação em aspectos de justiça e interior da UE.

"Não há perspectiva alguma de o Reino Unido se unir a um processo de asilo comum na Europa. Temos nossa própria política de asilo, nossas próprias maneiras de fazer as coisas e nossas próprias fronteiras", insistiu, embora tenha admitido que ajudar à Europa a fazer frente a este desafio é bom para todos, inclusive para o Reino Unido.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos