Marrocos condena atentado na Tunísia e pede maior coordenação regional

Rabat, 7 mar (EFE).- O governo do Marrocos condenou nesta segunda-feira, "nos termos mais enérgicos", o ataque terrorista ocorrido em Ben Guerdan, na Tunísia, que provocou a morte de 53 pessoas, e ressaltou a necessidade uma maior coordenação regional e internacional na luta contra o terrorismo.

Um comunicado do Ministério das Relações Exteriores do Marrocos publicado hoje expressou a solidariedade com o povo e o governo da Tunísia "diante deste ato criminoso abjeto com o qual seus autores buscam atacar a estabilidade do país e semear o terror".

Sendo o terrorismo, acrescenta a nota, uma ameaça à segurança e à paz internacional, o Marrocos destaca a necessidade de "intensificar e coordenar os esforços regionais e internacionais para combater a ameaça jihadista".

O governo do Marrocos colabora com os serviços de segurança de vários países europeus - França, Espanha, Bélgica, Holanda, entre outros - no combate ao terrorismo, mas essa parceria não existe com o principal país da região do norte da África, a Argélia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos