Rei da Espanha não abre novas consultas e dá tempo para partidos negociarem

Madri, 7 mar (EFE).- O rei Felipe VI comunicou nesta segunda-feira ao presidente do Congresso espanhol, Patxi López, sua decisão de não iniciar "por enquanto "novas consultas com os representantes políticos para que os partidos "possam realizar as atuações que considerem convenientes" para uma nova tentativa de posse.

Assim consta em comunicado divulgado pela Casa do Rei ao término da reunião mantida entre López e Felipe VI para tratar sobre o novo período que foi aberto após a posse fracassada do líder socialista, Pedro Sánchez.

O candidato socialista foi rejeitado na semana passada duas vezes pelo Congresso e se criou assim uma situação inédita, já que até agora nunca um aspirante ao governo tinha sido negado em duas ocasiões pelos deputados.

O chefe do Estado pediu hoje ao presidente do Congresso que "transfira" sua decisão de não convocar por enquanto às forças políticas com representação parlamentar, as que podem ser convocadas pelo Monarca antes de propor um candidato.

Agora pode entrar em uma nova etapa de negociações com o horizonte de 2 de maio como data limite para que seja escolhido um novo presidente do Governo. Se nesse dia não houver um chefe de governo eleito, então serão convocadas novas eleições.

Antes da posse fracassada de Pedro Sánchez, o Rei realizou duas rodadas de consultas; na primeira o presidente do Governo interino e líder do PP (centro-direita), Mariano Rajoy, rejeitou a proposta real de se apresentar ao debate de posse.

Após a segunda, o candidato proposto por Felipe VI foi o líder socialista, Pedro Sánchez, que não conseguiu reunir os apoios suficientes para ser eleito no debate da semana passada.

nac/ff

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos