Coalizão anuncia cessar-fogo na fronteira de Iêmen com Arábia Saudita

Riad, 9 mar (EFE).- A coalizão árabe liderada pela Arábia Saudita anunciou nesta quarta-feira que foi possível, com mediação tribal iemenita, "um estado de tranquilidade" na fronteira entre os dois países para facilitar o envio de ajuda humanitária ao Iêmen.

A chefia da coalizão militar informou, em comunicado, que personalidades tribais e sociais do Iêmen intermediaram a implementação desse cessar-fogo.

No entanto, não especificou se essas pessoas eram ou não leais ao movimento rebelde dos houthis, que controlam grande parte do país, incluída a capital, Sana.

A coalizão também não deu detalhes sobre eventuais cláusulas ou sobre a duração deste "estado de tranquilidade", como definiram.

O envio de assistência humanitária a aldeias próximas às áreas dos confrontos será realizada através da passagem fronteiriça de Alab, entre a Arábia Saudita e o Iêmen.

Segundo a coalizão, este acordo na fronteira faz parte da operação "Devolução da Esperança", e contribuirá para conseguir uma solução política ao conflito iemenita, de acordo com a resolução 2216 do Conselho de Segurança da ONU.

A aliança militar anunciou também que um sargento saudita, identificado como Jaber Assad al Kaabi, detido no Iêmen, foi trocado por sete iemenitas que tinham sido capturados próximo à fronteira.

Ontem à noite, fontes do movimento rebelde xiita iemenita dos houthis revelaram à Efe que uma delegação desse grupo, liderada pelo porta-voz Mohammed Abdel Salam, estava em conversas na Arábia Saudita.

O diálogo se desenvolve há dois dias em busca de um acordo que ponha fim ao conflito, segundo estas fontes, embora outras fontes dos houthis consultadas também pela Efe tenham negado a existência dessas negociações.

Seria a primeira vez que representantes dos houthis realizam conversas diretas com a Arábia Saudita, desde que a coalizão árabe começou seus ataques aéreos e operações terrestres contra os rebeldes, há quase um ano.

O conflito no Iêmen continua depois da conclusão das conversas de paz na Suíça, em 20 de dezembro, sem chegar a um acordo para um cessar-fogo permanente.

Os rebeldes houthis lançaram uma ofensiva em setembro de 2014 e tomaram o controle de grande parte do país, incluída a capital Sana, apesar de desde março de 2015 a coalizão árabe ter sido formada para bombardear suas posições apoiandoo presidente iemenita, Abdo Rabbo Mansour Hadi.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos