Médico de Nova York é multado por se negar a operar paciente com HIV

Nova York, 9 mar (EFE).- Um médico do estado de Nova York terá que pagar uma multa de US$ 75 mil (quase R$ 280 mil) por ter se negado a operar uma pessoa portadora do vírus HIV, anunciou nesta quarta-feira a promotoria.

"Discriminar pessoas com HIV não pode ser admissível", disse em comunicado o promotor federal do distrito leste de Nova York, Robert Capers.

O médico William Sher, um otorrinolaringologista da cidade de Port Jefferson, se negou a tratar um paciente, cuja identidade é mantida em sigilo.

O médico negociou com a promotoria um acordo para evitar ser julgado, e, além de pagar a multa ao paciente, terá que participar de um curso sobre Aids e discriminação.

"Os profissionais da saúde devem oferecer aos pacientes atendimento e tratamento apropriados, independentemente se o indivíduo tem HIV ou não", acrescentou Capers.

Sher deveria fazer uma biópsia, mas minutos antes da intervenção decidiu cancelá-la, alegando que o paciente tinha Aids, segundo a promotoria.

A Lei para Pessoas com Incapacidades (ADA) dos Estados Unidos proíbe expressamente a discriminação de pessoas com HIV nos hospitais e centros médicos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos