UE prolonga até setembro sanções a envolvidos na crise ucraniana

Bruxelas, 10 mar (EFE).- O Conselho da União Europeia (UE) aprovou nesta quinta-feira a extensão até 15 de setembro das sanções impostas a 146 pessoas e 37 entidades por "continuar prejudicando ou ameaçando a integridade territorial, soberania e independência da Ucrânia", informou a instituição em comunicado.

O Conselho, reunido hoje em formato de ministros de Interior, formalizou a decisão pactuada ontem pelos embaixadores dos 28 Estados-membros, reunidos no Comitê de Representantes Permanentes (Coreper). Segundo o órgão, três pessoas faleceram e foram retiradas da lista.

As sanções consistem no congelamento dos fundos que estas pessoas ou entidades possam ter na União Europeia e na proibição de entrada no território comunitário. Na lista figuram comandantes militares e responsáveis russos da administração da anexada região ucraniana da Crimeia, assim como separatistas pró-Rússia da Ucrânia.

As atas legais correspondentes serão publicadas no Diário Oficial da UE em 12 de março, um passo necessário para que a decisão possa ser aplicada. A UE começou a aplicar progressivamente este tipo de restrição em abril de 2014 e adotou também medidas econômicas contra a Rússia por seu papel na crise da Ucrânia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos