Flórida, a última esperança de Marco Rubio na corrida eleitoral

Cristina García Casado.

Washington, 13 mar (EFE).- As primárias de terça-feira na Flórida representam a última esperança do senador Marco Rubio em se manter na disputa pela Casa Branca e prometem ser uma prova de fogo para sua até então promissora carreira política.

Após quase um ano de campanha nacional, Rubio voltou a seu estado natal para pedir apoio não só à candidatura, mas também a um possível futuro como vice-presidente, governador ou novamente candidato à Casa Branca.

Marco Rubio, uma das apostas do Partido Republicano, sofrerá uma grande decepção caso na terça-feira, como apontam todas as pesquisas, perca para o magnata Donald Trump no estado em que começou a ganhar relevância.

A Flórida é o estado onde Marco Antonio Rubio, nascido em Miami e filho de cubanos, começou a se destacar com 28 anos como comissário de sua cidade, West Miami, e onde aos 35 já era o primeiro presidente cubano-americano da Câmara dos Representantes.

Foi no mesmo estado que Rubio surpreendeu em 2010, com uma arrasadora vitória sobre o então popular governador Charlie Crist que o levou ao Senado federal com 40 anos. A Flórida foi o local escolhido para anunciar, em abril do ano passado, que seria pré-candidato à presidência, com 43 anos.

O jovem senador é um dos nomes favoritos do Partido Republicano desde 2012, quando chegou a ser cogitado para o posição de vice-presidente do então candidato presidencial Mitt Romney.

No entanto, o núcleo tradicional do partido pressionou para que Rubio não se candidatasse nas eleições de 2016 e esperasse sua vez. A aposta republicana há um ano era outro nome natural da Flórida: o ex-governador e mentor de Rubio Jeb Bush.

Os planos do partido foram arrasados com a ascensão de Donald Trump como favorito e os decepcionantes resultados de Jeb Bush nas pesquisas e depois nas primárias e "caucus" (assembleias populares).

A desistência de Jeb Bush em fevereiro após dura derrota na Carolina do Sul deixou o caminho aberto para Marco Rubio, que passou a ser a aposta da vez para evitar que o controverso Trump seja o candidato.

No entanto, os apoios de governadores e legisladores, influentes jornais e grandes doadores não foram suficientes: o senador só ganhou em Minnesota e Porto Rico e caiu para a terceira e quarta posições nas primárias de terça-feira passada.

A queda de sua campanha se atribui ao tom dos ataques feitos a Trump após a Super Terça do dia 1º de março, nos quais chegou a criticar o tamanho de suas mãos e a cor de seu cabelo. O próprio Rubio reconheceu nesta semana que não está completamente orgulhoso dessa estratégia e que seus filhos se sentiram envergonhados.

A esperança de sua campanha é cosneguir uma virada após seu desempenho no debate da "CNN" na quinta-feira em Miami, onde se mostrou de novo sólido e eloquente, e deixou Trump em evidência sem recorrer ao insulto.

Rubio vai para o tudo ou nada na Flórida na próxima terça-feira, tanto que sua equipe de campanha chegou a pedir pela televisão que os republicanos de Ohio votem em seu governador, John Kasich, por ser o único com possibilidades reais de frear Trump no estado.

Como contrapartida, pedem que os eleitores de Kasich na Flórida apoiem Marco Rubio, o único com uma oportunidade matemática de vencer o multimilionário.

Tanto Rubio como Kasich terão resultados esclarecedores para a continuidade na corrida pela Casa Branca nas primárias da próxima terça-feira, nas quais seus estados concedem ao ganhador 99 e 66 delegados, respectivamente, sem a repartição proporcional habitual das votações anteriores.

Jeb Bush, que mantém grande influência na política da Flórida, evitou apoiar algum candidato, nem mesmo a Rubio, pelo qual apostou com fervor no passado e com o qual trocou duros ataques em seus meses como rivais nas primárias republicanas.

Rubio enfrenta o que a imprensa já se começa a considerar "uma sonhadora" batalha contra Donald Trump na Flórida, da qual espera sair impulsionado para, pelo menos, salvar seu promissor futuro político.

"Sempre fui um 'azarão'. Não herdei dinheiro nem contatos dos meus pais. Durante minha vida inteira tive que lutar duro e vencer todos a cada passo em meu caminho", defendeu nesta semana o senador em um comício na Flórida.

"Preciso de sua ajuda. Acredito de coração que o ganhador das primárias da Flórida será o indicado do Partido Republicano", disse em outro evento.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos