Detidas 50 pessoas que teriam vínculos com líder religioso Gülen

Ancara, 14 mar (EFE).- A promotoria da cidade de Isparta, no sudoeste da Turquia, determinou nesta segunda-feira a prisão de 50 pessoas, entre elas um ex-reitor da universidade, acusadas de vínculos com as redes de seguidores do líder religioso exilado Fethullah Gülen.

A promotoria de Isparta emitiu a ordem de detenção de 56 pessoas, das quais seis ainda estão sendo procuradas, informou a agência semipública "Anadolu".

Os detidos são acusados de vínculos com a "Organização terrorista de Fethullah" (FETÖ), nome dado pela promotoria turca à rede de simpatizantes do predicador, apesar de nunca o ter acusado de atos violentos.

A polícia também lançou outras operações de grande escala na cidade de Adana e em um bairro de Istambul.

Em Adana foram detidas 36 pessoas, supostamente vinculadas ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), a guerrilha curda, informou a emissora "CNNTÜRK".

Em Istambul, a polícia montou uma ampla operação antiterrorista no bairro de Gaziosmanpasa, conhecido reduto de movimentos marxistas, e praticou várias detenções.

Não houve nenhuma confirmação de que estas operações estariam vinculadas ao atentado que ontem deixou 37 mortos em Ancara.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos