Berlim vê recuo russa como "sinal" de Putin para que Assad negocie

Berlim, 15 mar (EFE).- O ministro das Relações Exteriores alemão, Frank-Walter Steinmeier, considerou nesta terça-feira que a retirada parcial do Exército russo da Síria, anunciada na segunda-feira, é uma "sinal" ao presidente Bashar al-Assad para que negocie com a oposição.

Steinmeier fez estas declarações na entrevista coletiva que ofereceu conjuntamente com sua colega mexicana, Claudia Ruiz, com quem se reuniu em Berlim.

"O que para mim é seguro é que é um sinal para Assad para que se sente para negociar seriamente em Genebra", afirmou.

Isto, reconheceu o chefe da diplomacia alemã, não é "garantia" de que as conversas que voltaram a ocorrer esta semana na Suíça possam chegar a bom termo.

No entanto, Steinmeier desejou que o processo de negociação entre os representantes do regime sírio e dos grupos que conformam a oposição moderada avancem rumo ao objetivo de formar um novo governo interino.

O ministro alemão acrescentou que o anúncio russo foi tido como "surpresa" tanto para os Estados Unidos como para os parceiros europeus, que não tinham sido informados por Moscou antecipadamente.

Steinmeier ressaltou, além disso, que por enquanto não conhece o alcance da retirada do Exército russo da Síria, já que não é total mas parcial.

O presidente russo, Vladimir Putin, anunciou na segunda-feira que tinha ordenado uma retirada parcial dos soldados militares desdobrados na Síria ao considerar que os alvos desta missão foram atingidos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos