Michelle Obama descarta ser candidata à presidência dos EUA no futuro

Austin (EUA), 16 mar (EFE).- A primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, descartou nesta quarta-feira a hipótese de se candidatar à presidência do país no futuro, como fez em 2008 e de novo neste ano a democrata Hillary Clinton, esposa do ex-presidente Bill Clinton.

Michelle foi ao festival de música, cinema e tecnologia South by Southwest (SXSW), em Austin, no Texas, para falar sobre educação, mas, antes de terminar sua participação, foi perguntada sobre suas aspirações presidenciais.

"As pessoas querem saber", afirmou a cantora Queen Latifah, que moderava o painel.

"Não serei candidata à presidência. Não, não vou fazer isso", respondeu a primeira-dama, para depois citar suas duas filhas, Malia e Sasha, como uma de suas razões.

"São as filhas do presidente. Vamos, pensem nisso. Não é fácil. Elas levaram com serenidade e elegância, mas já é o suficiente", acrescentou, diante da evidente decepção do público que estava presente ao evento.

Michelle também revelou que o que mais estranhará quando deixar o posto de primeira-dama em janeiro de 2017 é o "contato com as pessoas jovens".

No SXSW, a primeira-dama apresentou a segunda fase da iniciativa "Let Girls Learn" (Deixe que as meninas aprendam), um programa com o qual promove acesso à educação a 62 milhões de meninas que atualmente não frequentam escolas no mundo todo.

A nova etapa pretende "pedir que as pessoas não só se preocupem com o problema, mas façam algo a respeito".

Através do site "62milliongirls.com", a primeira-dama convidou professores, estudantes, pais e mães a organizar eventos que sirvam para conscientizar as comunidades e, de quebra, arrecadar fundos para a iniciativa.

"Vejam, eu fui uma menina afro-americana no sul de Chicago, onde as expectativas eram limitadas. Eu tratava de percorrer meu caminho, ir bem na escola, mas sempre havia pessoas ao redor me lembrando dos meus limites. Minha resposta foi mostrar que eles estavam equivocados", ressaltou.

"Mas não são todos que reagem assim. Há muitos jovens que veem como seus sonhos viram fumaça. Ainda vejo os efeitos dessa insegurança nos jovens e, especialmente, nas meninas", completou a primeira-dama.

A falta de recursos e estrutura, além da distância das escolas, foram alguns dos motivos expostos por Michelle para promover a campanha "Let Girls Learn".

Em um momento mais musical do painel, a primeira-dama revelou que Steve Wonder é seu artista favorito e cantou algumas estrofes de "It's hard to say goodbye to yesterday", do grupo "Boyz II Men". Depois, lembrou que seu tempo na Casa Branca já "está perto do fim".

Seu marido, Barack Obama, abriu na última sexta-feira o SXSW, com uma conferência sobre o compromisso cidadão. Obama foi o primeiro presidente em exercício a participar do festival, que já tem 30 edições.

Em discurso, o presidente pediu que as pessoas evitem posições "absolutistas" no debate sobre a encriptação de dispositivos móveis, em meio à disputa judicial entre Apple e FBI, e pediu à indústria da tecnologia que desenvolva ideias para aumentar a participação política, especialmente entre os jovens.

O SXSW, uma das vitrines mais importantes da indústria cultural americana, reúne durante dez dias mais de 300 mil pessoas, entre eles artistas, empreendedores, agentes, diretores de cinema e caça-talentos de todo mundo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos