Obama fará "importante discurso" ao povo cubano em Havana, diz Casa Branca

Washington, 16 mar (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fará um "grande discurso" no Gran Teatro de Havana na próxima terça-feira, durante sua visita a Cuba, no qual falará sobre a "complicada história" entre os dois países e o futuro da relação bilateral, informou nesta quarta-feira a Casa Branca.

Os EUA esperam que o discurso seja transmitido ao vivo pelas emissoras de televisão e rádio de Cuba. Até o momento, o governo de Raúl Castro não se opôs à ideia, afirmou o assessor de Segurança da Casa Branca, Ben Rhodes, em entrevista coletiva.

Tanto na visita a Cuba como na viagem posterior à Argentina, Obama estará acompanhado de sua esposa, Michelle, suas filhas, Malia e Sasha, e sua sogra, Marian Robinson, explicou Rhodes.

O presidente americano chegará a Cuba na tarde de domingo e visitará, junto com sua família, vários pontos turísticos da capital, entre eles a catedral, onde será recebido pelo arcebispo de Havana, o cardeal Jaime Ortega, afirmou o assessor.

A agenda oficial começará a partir de segunda-feira, com uma visita ao monumento a José Martí, seguida de uma reunião bilateral com Raúl Castro. Os dois líderes falarão com a imprensa após o encontro, segundo Rhodes, que descartou a hipótese de Obama se reunir com Fidel Castro, algo que não seria de interesse de nenhum dos dois países.

Na reunião com Raúl Castro, Obama falará sobre os "avanços" no processo de normalização das relações e será "muito franco" sobre as áreas nas quais "há desacordo". Além disso, expressará seu apoio a um "aumento de intercâmbios entre os povos e as oportunidades de comércio", destacou o assessor da Casa Branca.

Na sequência, o presidente americano se reunirá com vários empresários cubanos e, à noite, participará de um jantar de estado no Palácio da Revolução.

O discurso de Obama no Gran Teatro de Havana está marcado para terça-feira. Ele será assistido por cerca de mil pessoas, a maior parte delas convidadas pelo governo americano. Entre eles estão "cubanos de todo tipo e muitos jovens", segundo Rhodes.

"Esse discurso será muito importante para o povo cubano. Obama falará da complicada história entre os dois países e deixará claro que os EUA não vão promover uma mudança de regime em Cuba", afirmou o assessor de Segurança Nacional da Casa Branca.

Durante a visita, o presidente americano também "abordará diferente os temas relacionados com os direitos humanos" em Cuba, mas se "afastará da mensagem do passado" de que os EUA pareciam "querer ditar a direção política do país" porque têm "muita confiança de que os cubanos sabem decidir por si só".

Depois do discurso, Obama se reunirá com membros da sociedade civil de Cuba, entre eles "alguns dissidentes destacados". O assessor não quis identificar quem seriam os dissidentes, mas disse que "serão pessoas que demonstraram um grande valor na hora de lutar por seus direitos e um futuro melhor para os cubanos".

A visita de Obama a Cuba será encerrada no Estádio de Havana, onde o presidente americano assistira ao amistoso de beisebol entre o Tampa Bay Rays e a seleção cubana.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos