ONU afirma que negociações de paz para Síria avançaram em poucos dias

Genebra, 16 mar (EFE).- As negociações de paz para a Síria avançaram em poucos dias, garantiu nesta quarta-feira o auxiliar de mediação da ONU neste processo político, Ramzy Ezzeldin Ramzy, após uma reunião com a delegação que representa o governo de Damasco.

"Sem lugar a dúvidas, alcançamos um grande progresso em apenas alguns dias", disse Ramzy em encontra com a imprensa no terceiro dia de discussões de paz.

O mediador adjunto explicou que "o processo está avançando" e deixou claro que as negociações entraram em "temas substanciais".

"Nesta manhã, discutimos temas substanciais com a delegação governamental. Nós (o escritório de mediação) reagimos à lista de assuntos que eles nos propuseram na segunda-feira. De fato, pedimos que nos esclareçam alguns pontos, para poder estabelecer as bases de uma discussão mais concreta no futuro", ressaltou.

Minutos antes, em outro comparecimento à imprensa, o chefe da delegação governamental, Bashar Jaafari, negou que as conversas tivessem entrado em matérias substanciais ao afirmar que ainda estavam discutindo sobre seu formato.

Questionado sobre a aparente contradição, Ramzy respondeu que "não havia dúvidas" que as negociações entraram em temas importantes porque a lista de ideias apresentada pela delegação do regime já tinha sido discutida, embora tenha deixado o espaço aberto para diferentes interpretações do que está acontecendo.

A principal delegação opositora, a Comissão Suprema para as Negociações (CSN) também entregou ontem ao enviado especial, Staffan De Mistura, uma lista com os assuntos que consideram prioritários para a discussão. No entanto, nem as partes negociadoras nem o escritório do mediador revelaram o conteúdo da lista de prioridades.

De Mistura deu a entender ontem que havia a possibilidade de ele mesmo redigir um "roteiro" das discussões com base nas duas listas elaboradas.

Perguntado sobre o assunto, Ramzy evitou responder e se limitou a dizer que "estão vendo se há aspectos nos quais pode haver acordo e, de fato, parece que há assuntos em que não diferem".

Sobre as informações de que os grupos curdos que controlam parte do norte da Síria se preparam para declarar a autonomia de seu território, Ramzy afirmou que todas as manifestações do Conselho de Segurança da ONU deixaram clara a importância da integridade territorial do país.

"A integridade territorial é fundamental e são os próprios sírios os que deverão decidir o futuro de seu país".

De Mistura se reunirá nesta tarde com representantes de entidades opositoras aceitas pelo governo sírio que também chegaram à Suíça, mas que estão excluídas da delegação negociadora da oposição.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos