Julgamento do "Vatileaks 2" é suspenso por motivo de saúde de acusada

Cidade do Vaticano, 17 mar (EFE).- O Vaticano anunciou nesta quinta-feira a suspensão do julgamento de cinco pessoas por vazamento de documentos sigilosos por motivos de saúde alegados pela acusada Francesca Chaouqui, que está grávida.

O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, comunicou a suspensão do julgamento conhecido como "Vatileaks 2" e disse que a advogada de Francesca, Laura Sgró, apresentou um atestado médico que prescrevia à acusada um período de 20 dias de total repouso.

O presidente do Tribunal do Vaticano, Giuseppe della Torre, já tinha determinado as datas para as próximas sete audiências do caso, que recomeçou na última segunda-feira após três meses e meio de suspensão. A primeira das audiências estava marcada para amanhã.

Também na segunda-feira, a advogada de Francesca tinha comunicado ao tribunal que sua cliente, que está entre o quinto e sexto mês de gravidez, seria avaliada por um médico devido à complicações em seu estado de saúde.

Durante uma audiência realizada no fim da tarde de terça-feira, a acusada saiu correndo para pedir auxílio médico, que está disponível em uma ambulância que fica estacionada durante o julgamento do lado de fora do edifício onde está o tribunal.

Após vários minutos e inclusive com a chegada do comandante da Polícia do Vaticano, Domenico Giani, Francesca afirmou que os médicos queriam que ela fosse internada. No entanto, a acusada se negou a ser levada ao hospital para continuar acompanhando pessoalmente a audiência.

No julgamento que teve início no dia 24 de novembro do ano passado, estão no banco dos réus o sacerdote espanhol Lúcio Vallejo Balda, secretário da extinta Comissão Investigadora dos Órgãos Econômicos e Administrativos da Santa Sé (Cosea), de onde procedia a maior parte dos arquivos relevados.

Também são acusados o ex-funcionário Nicola Maio e os jornalistas que publicaram o material sigiloso: Gianluigi Nuzzi e Emiliano Fittipaldi. O julgamento tinha sido reiniciado com os depoimentos do sacerdote espanhol e de Fittipaldi. A próxima a ser interrogada seria Francesca.

Vallejo Balda está preso desde o dia 1º de novembro do ano passado. Há poucos dias, o Tribunal do Vaticano decidiu revogar o direito a prisão domiciliar concedido no dia 23 de dezembro após um celular ter sido encontrado um celular no local.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos