Música e poesia marcam dia de reflexão pelo aniversário do golpe na Argentina

Buenos Aires, 19 mar (EFE).- Música, cinema, teatro e poesia protagonizam neste sábado a Jornada da Arte e da Memória na Argentina, organizada como aperitivo dos atos de comemoração dos 40 anos do golpe (dia 24) que deu lugar à última ditadura militar no país (1976-1983).

Murais coletivos, narração infantis e dança completam a programação desta jornada, organizada pelo governo argentino no Centro Cultural da Memória Haroldo Conti, situado no prédio que fora a Escola de Mecânica da Marinha (Esma), o maior centro de detenção ilegal da ditadura.

Com entrada gratuita, a proposta cinematográfica inclui a projeção de dois filmes, um deles "O beijo da mulher aranha" (Héctor Babenco, 1985).

Mostras de poesia visual e fotografia servirão também para lembrar a etapa mais negra da história recente do país, que terminou com cerca de 30 mil desaparecidos, segundo os cálculos dos organismos de direitos humanos.

O fechamento do evento contará com uma leitura de poemas do escritor argentino Juan Gelman, falecido em 2014, cujo filho foi sequestrado e assassinado pela ditadura militar, e com um concerto a cargo da Orquestra Nacional de Música Argentina "Juan de Deus Filiberto".

Os organismos de direitos humanos preparam uma intensa jornada de reflexão para o 40° aniversário, que contará, entre outros atos, com a marcha anual pela memória.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos