Temer nega estar discutindo possível saída de Dilma

Brasília, 21 mar (EFE).- O vice-presidente Michel Temer, primeiro na linha sucessória caso a presidente Dilma Rousseff deixe o cargo, negou nesta segunda-feira que tenha começado a trabalhar na formação de governo, como afirmou o senador José Serra.

Temer rebateu a alegação de Serra, que em entrevista publicada hoje pelo jornal "O Estado de São Paulo" deu a entender que o vice-presidente já pensa na possibilidade de assumir o cargo com uma eventual cassação de Dilma.

"Michel Temer não tem porta-voz, não discute cenários políticos para um futuro governo e não delegou a ninguém o anúncio das decisões sobre sua vida pública", segundo uma nota divulgada pelo vice-presidente.

O comunicado acrescentou que, "quando tiver que anunciar alguma posição, Temer fará por si mesmo, sem intermediários".

Nas últimas semanas, ao tempo em que cresceu o mal-estar com Dilma e as contínuas denúncias de corrupção, o PSDB iniciou uma aproximação com o PMDB, que está prestes a desembarcar do governo e passar para a oposição.

A comissão que avaliará o pedido de impeachment da presidente foi instalada semana passada na Câmara dos Deputados. O papel dela é determinar as pedaladas fiscais são razão suficiente para a perda do mandato.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos