Cameron pede que Europa se una perante "terroristas atrozes"

Londres, 22 mar (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, afirmou nesta terça-feira que os países europeus necessitam "permanecer unidos" perante a ameaça de "terroristas "atrozes", depois que os atentados de Bruxelas deixaram 26 pessoas mortas.

Em uma breve declaração em sua residência oficial do 10 de Downing Street, o chefe do governo expressou sua solidariedade com os mortos e os feridos nos ataques e disse que "é preciso assegurar" que os terroristas "nunca ganhem".

Além disso, o "premier" informou que a ameaça terrorista contra o Reino Unido se mantém em "severa", a segundo mais grave e que significa que um atentado é provável.

O político conservador recalcou que a segurança em portos, aeroportos, trens e outros meios de transporte no Reino Unido foi reforçada.

Quanto a possíveis vítimas britânicas, Cameron explicou que ainda não dispõe de informação concreta ao respeito, apesar dos veículos de imprensa indicarem que um cidadão do Reino Unido teria sido ferido.

"O que devemos fazer hoje é expressar nossa solidariedade e condolências com o povo da Bélgica, que sofreu este terrível ataque terrorista", acrescentou.

Antes, através de seu conta no Twitter, Cameron tinha manifestado "comoção" e mostrado "preocupação" pelos atentados desta manhã no aeroporto de Bruxelas e em uma estação do metrô.

O primeiro-ministro presidiu hoje uma reunião do chamado comitê de emergência Cobra, formado pelos principais ministros e as forças de segurança, em resposta aos atentados de hoje.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos