Ataque dos EUA no leste do Iêmen mata 37 membros da Al Qaeda

Sana, 23 mar (EFE).- Pelo menos 37 membros da Al Qaeda na Península Arábica (AQPA) morreram em um ataque aéreo americano sobre um campo de treinamento do grupo terrorista no sudeste do Iêmen, informaram nesta quarta-feira fontes médicas à Agência Efe.

Aviões não tripulados dos Estados Unidos bombardearam nesta madrugada esse centro, na região de Borum, a oeste de Al Mukala, capital da província de Hadramut, controlada pela AQPA.

O porta-voz do Departamento de Defesa, Peter Cook, anunciou ontem que esse campo de treinamento era utilizado por mais de 70 terroristas e que a operação americana deixou dezenas de membros de AQPA "fora de combate".

As fontes médicas do Iêmen apontaram que o ataque também deixou dezenas de feridos, que foram internados em hospitais públicos e privados de Al Mukala.

Muitos dos feridos permanecem em estado grave, e membros do grupo extremista percorreram em veículos com alto-falantes as avenidas da cidade pedindo à população para doar sangue, contaram moradores de Al Mukala à Efe.

A AQPA, que controla esta cidade desde abril, foi atacada por aviões drones americanos em Hadramut, que mataram importantes líderes do grupo.

O mais destacado era o líder de AQPA, Nasir al Wahishi, que foi um próximo colaborador de Osama bin Laden, e que foi morto em junho.

Segundo os EUA, o ataque de ontem reduziu a capacidade do grupo terrorista de utilizar o Iêmen como uma base para realizar ataques que ameaçam americanos.

Os Estados Unidos consideram a AQPA uma das organizações que mais ameaça sua segurança nacional, por ter tentado várias vezes organizar atentados contra seu território e seus interesses.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos