Cazaquistão pede à UE apoio a reformas e solução para sanções contra a Rússia

Bruxelas, 30 mar (EFE).- O presidente do Cazaquistão, Nursultan Nazarbayev, pediu nesta quarta-feira à União Europeia (UE) que apoie as reformas e os investidores do país, além de solicitar uma "solução conveniente" em relação às sanções impostas contra Rússia, que também acabam afetando a economia cazaque.

Nazarbayev, que se reuniu hoje com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, explicou em entrevista coletiva após o encontro que pediu apoio às reformas, aos investidores e à política industrial de seu país.

Além disso, o presidente cazaque explicou que abordou "os problemas regionais, da Ucrânia e as sanções com a Rússia". Juncker concordou, segundo Nazarbayev, em estabelecer um "trabalho comum para encontrar uma solução que convenha tanto a UE como a Rússia".

O presidente do Cazaquistão lembrou que a Rússia é a principal aliada de seu país e por isso também fica "sensível" às sensações. "Estamos no coração do continente euroasiático, não temos acesso ao mar. Temos relações amistosas com a China e com a Rússia, são nossos parceiros principais", disse Nazarbayev.

O líder cazaque, que também se reuniu com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, também pediu que a União Europeia pare de cobrar vistos de cidadãos de seu país.

Outro problema abordado na reunião, disse Nazarbayev, foi a da inclusão da maior parte das companhias aéreas do Cazaquistão na lista negra de empresas que são proibidas de voar dentro do território da UE por motivos de segurança. "Essas companhias não têm problemas de qualidade", disse Nazarbayev.

Nazarbayev ressaltou que a UE e o Cazaquistão estão há mais de 20 anos cooperando e que seu país é o único ex-soviético que concluiu um acordo de associação e cooperação com o bloco.

O pacto, assinado no ano passado, começará a ser implantado em 1º de maio em um regime provisório, indicou Nazarbayev, que pediu hoje a Juncker que acelere a ratificação em todos os países da UE;

O presidente do Cazaquistão afirmou que a UE representa 50% dos investimentos estrangeiros no país e é "um importante parceiro".

Juncker, por sua vez, disse que também abordou na reunião os problemas de direitos humanos no Cazaquistão. O presidente da Comissão Europeia ressaltou que Nazarbayev está "sensível" a esses problemas, em particular no que se refere à relação entre as autoridades cazaques e as ONGs estrangeiras.

Ele avaliou, além disso, o peso do Cazaquistão "nessa região complicada do mundo" e destacou a "influência pacificadora" do país. Também ressaltou que a UE deseja continuar sendo um dos principais parceiros comerciais do Cazaquistão.

Juncker também afirmou que as reformas que estão sendo empreendidas no país são "promissoras".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos