Guardas turcos mataram 23 pessoas em fronteira com a Síria desde início 2016

Beirute, 1 abr (EFE).- Pelo menos 23 pessoas morreram em 2016 quando tratavam de atravessar desde Síria à Turquia por disparos da guarda fronteiriça turca, denunciou nesta sexta-feira à Agência Efe o diretor do Observatório Sírio de Direitos Humanos, Rami Abderrahmán.

Desses mortos, "16 eram civis sírios, entre os que há dois menores e uma mulher, e outras sete pessoas de identidade desconhecida", apontou o ativista em uma conversa telefônica.

Os ataques ocorreram quando as vítimas tratavam de atravessar desde as províncias sírias de Idlib e Aleppo, no noroeste, e desde Al Hasaka, no nordeste, em direção à Turquia.

"O maior número de mortos ocorreu nos dois últimos meses pela onda de deslocados que houve no norte de Aleppo e que tentaram chegar ao território turco", explicou Abderrahmán.

A fonte indicou que esta é uma prática habitual da guarda fronteiriça da Turquia desde o início do conflito na Síria em março de 2011.

"Isto não é algo novo, está ocorrendo desde o começo da guerra", acrescentou Abderrahmán.

A Síria sofre uma disputa civil há cinco anos que deixou mais de 270 mil mortos e 4,5 milhões de refugiados, segundo o Observatório. EFE

ssa/ff

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos