Espanha investiga envolvimento de sociedades espanholas no "Panama Papers"

Madri, 4 abr (EFE).- A Procuradoria da Audiência Nacional espanhola decidiu nesta segunda-feira investigar as informações publicadas por vários meios de comunicação com relação ao escândalo "Panama Papers" sobre offshores, que afetaria cerca de 1,2 mil sociedades espanholas.

Fontes desta Procuradoria informaram sobre a abertura desta investigação, que se soma a outra aberta pela Agência Tributária espanhola, em um caso que envolve entre outros Pilar de Borbón, irmã do rei Juan Carlos, o diretor de cinema Pedro Almodóvar e o jogador do Barcelona, Lionel Messi.

A Procuradoria pretende determinar a existência de supostas atividades delitivas de lavagem de capitais que possam ter sido cometidas através da firma Mossack Fonseca do Panamá.

Além disso, procura esclarecer a natureza e circunstâncias dos fatos e de outros delitos que puderam resultar em delitos, assim como a identificação de seus responsáveis.

Do mesmo modo, a Procuradoria pretende determinar a concordância dos requisitos necessários para proceder à perseguição pela justiça espanhola por crimes cometidos no estrangeiro, acrescentou o promotor espanhol disse em um comunicado.

A investigação parte da publicação, por vários meios de comunicação de todo o mundo, dos denominados "Panama Papers", divulgados pelo Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICJI).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos