China suspende parte de comércio exterior com Coreia do Norte

(Atualiza com mais dados).

Pequim, 5 abr (EFE).- O governo chinês anunciou nesta terça-feira a proibição de parte de seu comércio exterior com Coreia do Norte, em conformidade com a última resolução do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), que inclui novas sanções.

O Executivo proibiu, com aplicação imediata, as importações de matérias-primas como o carvão, o minério de ferro e o ouro, e as exportações de combustível para aviões, de acordo com o comunicado do Ministério de Comércio publicado em seu site.

O órgão explicou, no entanto, que continuará permitindo algumas importações de carvão, ferro e minério de ferro para "uso civil", apesar de enfatizar que qualquer comércio relacionado ao "programa de mísseis ou nuclear" está proibido.

Esta medida da China, o principal parceiro comercial norte-coreano, atende a determinação da ONU feita em 2 de março, sobre sanções que busquem sufocar o regime liderado por Kim Jong-un após seus últimos testes nuclear e de mísseis.

Em Tóquio, o enviado chinês para a desnuclearização da península coreana, Wu Dawei, e o diretor-geral para a Ásia e Pacífico do Ministério das Relações Exteriores japonês, Kimihiro Ishikane, reivindicaram que Pyongyang adote uma "atitude positiva e construtiva" para retomar as conversas regionais paralisadas para a desnuclearização da Coreia do Norte.

A China apoiou as sanções da ONU após as novas demonstrações de poderio militar de Pyongyang, mas defendeu que elas não são "o fim" e que acredita que devem estar acompanhadas de diálogo para conseguir o desmantelamento do suposto arsenal nuclear norte-coreano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos