Site tunisiano sofre ataque após publicar nomes de citados no Panama Papers

Túnis, 5 abr (EFE).- O site tunisiano "Inkyfada" sofreu nesta terça-feira um ataque cibernético em massa poucos minutos depois de ter publicado os primeiros nomes de alguns envolvidos do país no Panama Papers, um escândalo de ocultação de dinheiro por meio de offshores que envolve políticos, empresários e celebridades

"O ataque ocorreu de vários lugares, como pudemos identificar, apesar de não termos conseguido chegar nas pessoas o realizaram", explicou a diretora do "Inkyfada", Monia Ben Hamadi.

Após a ação, os responsáveis pelo site decidiram tirá-lo do ar porque os hackers começaram a postar informações falsas, de acordo com Hamadi. O "Inkyfada" é vinculado ao Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ, na sigla em inglês), que coordenou a apuração dos documentos vazados no Panama Papers.

O ataque foi condenado pela diretora do escritório para o Norte da África da organização Repórteres sem Fronteiras, Yasmine Kacha, que garantiu que essa ação mostra o quanto o jornalismo investigativo "provoca medo" na Tunísia.

O site, que segue fora do ar, tinha envolvido no escândalo Mohsen Marzouk, ex-chefe de campanha do atual presidente do país, Beji Caid Essebsi, e um dos fundadores do partido governante Nidaa Tounes.

Segundo os documentos vazados do escritório panamenho de advocacia Mossack Fonseca, Marzouk, um dos responsáveis da transição na Tunísia após a Primavera Árabe, trocou e-mails com funcionários da empresa para saber os procedimentos para abrir uma offshore.

Pouco após a divulgação da notícia, o político tunisiano, que deixou o Nidaa Tounes recentemente após desavenças com o filho do presidente e anunciou a formação de um novo partido, negou a informação e afirmou que irá processar o "Inkyfada".

O presidente do Banco Central da Tunísia, Chedly Ayari, revelou hoje que a instituição abrirá uma investigação sobre os nomes dos cidadãos do país que aparecerem na lista para descobrir se eles cometeram algum crime.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos