China rejeita protestos do Vietnã por plataforma petrolífera e farol

Pequim, 8 abr (EFE).- A China rejeitou nesta sexta-feira a reivindicação do Vietnã para que retire uma plataforma petrolífera e apague um farol nas disputadas águas do mar da China Meridional, em um novo episódio das crescentes tensões pela soberania da região.

A plataforma de prospecção petrolífera está "em águas indiscutivelmente chinesas", afirmou hoje um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Hong Lei, que pediu ao Vietnã que tenha uma visão "objetiva e equitativa" do assunto.

Hong respondia ao pedido do governo de Hanói para que Pequim retire essa instalação ao se encontrar em uma região na qual ambos países "negociam a delimitação" de suas águas territoriais, segundo informou hoje a imprensa estatal vietnamita.

O porta-voz chinês rejeitou também hoje a solicitação vietnamita para que apague o farol de navegação marítima que começou a funcionar na terça-feira passada no recife de Zhubi (ou Subi, nos mapas internacionais), em águas das disputadas ilhas Spratly.

A operação do farol figura "totalmente" dentro das atribuições da "soberania chinesa" na zona, afirmou Hong, que disse que Pequim iniciou a instalação dentro de suas "obrigações internacionais" para aumentar a segurança da navegação na zona.

O Vietnã ameaçou nos últimos dias Pequim a não violar a soberania vietnamita nas ilhas do citado mar e a aplicar as leis internacionais sobre a matéria.

China e Vietnã estão divididos pela soberania das ilhas Spratly e Paracel, no mar da China Meridional, onde outros países, como as Filipinas, Malásia, Taiwan, Indonésia e Brunei, também sustentam reivindicações marítimas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos