Procuradoria belga confirma prisão de suposto cúmplice de atentados em Paris

Bruxelas, 8 abr (EFE).- O Ministério Público Federal da Bélgica confirmou nesta sexta-feira a prisão, em Bruxelas, do belga-marroquino Mohammed Abrini, suposto cúmplice de Salah Abdeslam na preparação dos atentados do 13 de novembro do ano passado, em Paris, e anunciou que ainda está investigando se ele é o chamado "homem do chapéu" que teria relação com os atos terroristas de 22 de março na capital belga.

Além disso, o porta-voz da Procuradoria, Thierry Werts, informou em entrevista coletiva sobre a prisão, ocorrida também hoje em uma série de operações policiais, de Naeem Al Hamed, conhecido como Osama Krayem. Acredita-se que ele teve contato com Khalid El Bakraoui, terrorista suicida que se explodiu no metrô de Bruxelas em 22 de março, pouco antes deste atentado.

O Ministério Público confirmou que o DNA de Abrini foi encontrado no apartamento do bairro bruxelense de Schaerbeek, de onde saíram os suicidas que se explodiram no metrô e no aeroporto de Bruxelas, causando 32 mortes.

Nas operações policiais de hoje foram detidas, no total, cinco pessoas, segundo o porta-voz. Werts explicou que Krayem foi preso durante a manhã em companhia de outro homem identificado como Hervé B.M.

"Por meio de um veículo alugado por Salah Abdeslam, Osama K. foi pego (como carona) em 3 de outubro de 2015 em Ulm, (sul da) Alemanha, e levado à Bélgica", afirmou Werts.

O porta-voz do Ministério Público acrescentou que a pessoa que foi vista em contato com El Bakraoui também esteve no complexo comercial City 2, no centro de Bruxelas, onde comprou "bolsas que serviram nos atentados do aeroporto".

Por sua vez, Abrini foi detido à tarde no bairro de Anderlecht e, junto com ele, foram detidas outras duas pessoas. Seus impressões digitais e DNA foram encontrados em diversos pontos de Schaerbeek e no automóvel que foi utilizado nos atentados de Paris, disse o porta-voz.

Abrini já era procurado por esses atentados por ter sido identificado em companhia de Salah Abdeslam no dia 11 de novembro em um posto de gasolina na estrada em direção à capital francesa.

Segundo a investigação do caso na França, os dois homens alugaram um apartamento em Alfortville, nos arredores de Paris, pouco antes dos atentados, e lá se hospedaram vários terroristas às vésperas de cometê-los, lembrou o porta-voz.

"A investigação continua para determinar se Mohammed Abrini é ou não a terceira pessoa presente nos atentados no aeroporto de Bruxelas, o chamado 'homem do chapéu", reiterou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos