"Encantador de Cães" não enfrentará acusações de maus-tratos aos animais

Los Angeles (EUA), 11 abr (EFE).- O mexicano Cesar Millan, mais conhecido como "O Encantador de Cães", não terá que enfrentar acusações por crueldade animal após a conclusão da investigação feita pelas autoridades de Los Angeles, na Califórnia, nos Estados Unidos, sobre um dos episódios do programa de TV "Cesar 911".

"Após uma extensa investigação dos nossos agentes, apresentamos um relatório muito minucioso e completo ao escritório do promotor público e eles foram incapazes de encontrar qualquer coisa contra o senhor Millan. É uma decisão justa", disse o vice-diretor do Departamento de Cuidado e Controle de Animais de Los Angeles, Aaron Reyes, de acordo com o jornal "Los Angeles Times".

A investigação começou em meados de março, quando membros do órgão foram ao centro canino de Millan (Dog Psychology Center) em Santa Clarita, na Califórnia, para averiguar um suposto caso de crueldade animal. A apuração teve início depois de uma queixa apresentada através da internet relacionada ao episódio de "Cesar 911", exibido em 26 de fevereiro, onde um porco de estimação era atacado por um cão.

Em comunicado, o canal "Nat Geo Wild", que transmite o programa, explicou que o caso aconteceu quando Millan estava trabalhando com Simon, um bulldog francês terrier misto que costuma atacar outros animais, incluindo os porcos de seu proprietário. Seu objetivo era adestrar o animal e faze-lo aprender a não atacar os animais de estimação.

"Um pequeno trecho do episódio foi compartilhado na internet e mostrava Simon perseguindo um dos porcos e lhe arrancando um pedaço da orelha, provocando sangramento", indicou o canal, admitindo que essas imagens causaram "preocupação" entre os espectadores, já que não tinham todo o contexto da situação.

"O porco atacado por Simon foi atendido imediatamente, se recuperou rapidamente e não mostrou sinais duráveis de sofrimento", alegou à emissora.

De acordo com o texto, o cachorro não precisa ser sacrificado nem separado de seu dono. A proprietária do cão chegou a gravar um vídeo em apoio a Cesar.

Após receber a notícia de que não enfrentaria acusações, Millan publicou um texto em seu site afirmando que ele e sua equipe estão "100% dedicados" aos cuidados adequados dos animais.

"Vamos continuar a resgatar e reabilitar mesmo os cães mais problemáticos. O nosso trabalho já salvou a vida de milhares de animais que de outra forma teriam sido sacrificados", ressaltou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos