Pré-candidatos presidenciais dos EUA tentam ampliar seus apoios em Nova York

Nova York, 15 abr (EFE).- A corrida eleitoral em Nova York antes das primárias da próxima terça-feira envolveu nesta sexta-feira seus principais pré-candidatos em vários pontos do estado, em uma tentativa de ganhar mais apoios para essa votação-chave.

Tanto a principal cidade do país como localidades do interior do estado foram palco hoje de diferentes atos dos pré-candidatos presidenciais, que querem transformar Nova York em uma etapa crucial em seu avanço eleitoral.

A favorita nas fileiras democratas, Hillary Clinton, dedicou parte do dia de hoje a visitar um edifício de residentes de baixa renda do Harlem para conhecer de perto suas necessidades e oferecer novas promessas.

"Queria vir aqui para fazer uma firme promessa, para fazer mais quando for presidente para ajudar às pessoas que vivem em edifícios públicos como este", disse a ex-secretária de Estado.

Em sua visita esteve acompanhada pela presidente do conselho municipal de Nova York e dirigente da comunidade latina, Melissa Mark-Viverito.

Seu rival, o senador Bernie Sanders, se deslocou nas últimas horas ao Vaticano para participar de um fórum do qual também participaram os presidentes do Equador, Rafael Correa, e da Bolívia, Evo Morales.

Ali, em declarações que tiveram eco em Nova York, Sanders insistiu na necessidade de buscar uma "economia moral" e renovou suas críticas ao mundo financeiro de Wall Street" e aos "multimilionários que podem chegar a ser presidentes".

Sanders não pôde encontrar-se pessoalmente com o papa Francisco, por problemas de agenda do pontífice, e pouco após participar desse ato retornou a Nova York para participar de um ato com o diretor de cinema Michael Moore.

A pesquisa mais recente, divulgada pelo jornal "The Wall Street Journal " e a emissora "NBC", indica que Hillary tem 17 pontos percentuais de vantagem sobre Sanders (57% contra 40%), segundo os dados de uma amostra de 500 pessoas consultadas por telefone.

No lado republicano, a mesma pesquisa indica que é Donald Trump quem tem uma clara vantagem sobre seus rivais: 54% de respaldo contra 25% do governador de Ohio, John Kasich, e 16% do senador pelo Texas, Ted Cruz.

Enquanto na cidade de Nova York sua vitória parece estar bem encaminhada, Trump dedicou o dia a buscar maiores apoios na cidade de Plattsburg, no norte do estado, horas antes de se deslocar a Connecticut para continuar sua campanha.

Trump recebeu hoje um presente inesperado quando o jornal "New York Post" publicou um editorial no qual lhe expressa seu respaldo, embora também reflita pontos negativos de sua campanha e o critique ao destacar algumas de suas declarações e decisões.

"Trump é um mensageiro imperfeito que leva uma mensagem vital, mas reflete o melhor dos 'valores nova-iorquinos' e representa a melhor esperança para todos os americanos que acertadamente se sentem traídos pela classe política", escreveu o "Post".

Mas também diz que a linguagem de Trump frequentemente foi pouco profissional e "grosseira".

"Mas o que se pode esperar de alguém que nunca foi um político profissional e reflete as paixões do homem comum?", se perguntou o jornal.

Cruz, por sua parte, buscou votos em outras localidades do interior do estado e Kasich participou de atos políticos em Utica e Watertown.

Em um desses atos, o governador de Ohio teve que esclarecer alguns termos ao comentar a queixa de um estudante pelo aumento dos abusos sexuais nas universidades.

Kasich recomendou aos jovens que evitem ir a festas "onde há um montão de álcool". Posteriormente insistiu em condenar este tipo de ataques sexuais e ressaltou que a única vítima é a pessoa que os sofre.

A jornada eleitoral de hoje aconteceu após o debate que Hillary e Sanders tiveram na quinta-feira pela noite, o mais áspero até agora e que faz parte do novo tom que surgiu em sua rivalidade política antes da votação de Nova York.

Em entrevista a emissoras de televisão, Hillary acusou Sanders hoje de "seguir a corrente" da "campanha negativa" realizada por sua equipe contra ela, apesar de o veterano senador ter se comprometido a evitá-la.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos