Presidente do Equador eleva para 233 número de mortos por terremoto

Quito, 17 abr (EFE).- O presidente do Equador, Rafael Correa, informou neste domingo que subiu para 233 o número de mortos pelo terremoto de magnitude 7,8 graus na escala Richter que sacudiu a região norte do país ontem.

"O número oficial de mortos subiu para 233. Bairro Tarqui, em Manta, muito afetado. Pedernales destruída", escreveu Correa em sua conta oficial no Twitter.

Correa afirmou que o vice-presidente do país, Jorge Glas, que viajou na manhã de hoje para Manta, já está se dirigindo para Portoviejo, outra das regiões mais castigadas pelo tremor.

"Eu aterrissarei diretamente em Manta às 18h30 (20h30 em Brasília). Prioridade imediata é o resgate entre os escombros. Apoio de socorristas do exterior. A caminho dois hospitais móveis. Eletricidade só funciona em certos setores. Temos que ser cuidadosos por causa dos escombros e dos postes caídos", disse o presidente, acrescentando que a "segurança pública está controlada".

"Albergues se preparando. Todo o país mobilizado. Obrigado ao mundo todo pela solidariedade", afirmou Correa, que está voltando da Europa após participar de um fórum no Vaticano para comemorar a publicação da encíclica do papa João Paulo II "Centesimus Annus".

O terremoto ocorreu às 18h58 locais de sábado (20h58 em Brasília), entre os balneários de Cojimíes e Pedernalas, na província de Manabí e na vizinha Esmeraldas, que também sentiu o impacto das 135 réplicas que seguiram o tremor principal.

Após o desastre, o governo equatoriano decretou estado de emergência nas províncias de Esmeraldas, Manabí, Guaias, Santo Domingo de los Tsáchilas, Los Ríos e Santa Elena, assim como estado de exceção em todo o território nacional.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos