Mais de 100 mil vivem situação crítica no norte da Síria, diz MSF

Genebra, 18 abr (EFE).- Mais de 100 mil pessoas estão em situação crítica na cidade de Azaz, na província de Aleppo, no norte da Síria, devido aos combates entre o Estado Islâmico (EI) e as milícias curdas, e em meio ao fechamento da fronteira com a Turquia, alertou nesta segunda-feira a organização Médicos Sem Fronteiras (MSF).

Em comunicado, a entidade explicou que a intensificação dos combates nessa área provocou recentemente a fuga de mais de 35 mil pessoas que estavam em campos de deslocados, e, com isso, já são mais de 100 mil as pessoas que fugiram rumo à fronteira com a Turquia e lá permanecem. A fronteira Turquia-Síria fica a apenas sete quilômetros dos combates e está fechada há um ano para a passagem de qualquer pessoa, exceto sírios que estejam doentes e trabalhadores humanitários com permissão especial.

"Novamente vemos milhares de pessoas sendo forçadas a fugir com praticamente nenhum lugar seguro para refugiar-se, apanhadas neste sangrento e brutal conflito. Nossas equipes médicas trabalham em condições dificilíssimas e, dada a severidade da crise, decidimos focarmos nas emergências. Na última semana, tratamos cerca de 700 pacientes nesta situação", disse em comunicado a diretora da missão da MSF na Síria, Muskilda Zancada.

emn/cdr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos