Sobe para 413 o número de mortos em terremoto no Equador

Quito, 18 abr (EFE).- O número de mortes causadas pelo terremoto que no sábado passado atingiu a região tropical do norte do Equador subiu para 413, segundo informou nesta segunda-feira o Ministério Coordenador de Segurança em comunicado.

As autoridades não divulgaram hoje o número de feridos, apesar de o presidente do país, Rafael Correa, ter dito ontem que já tinham sido contabilizados 2.068.

O governante declarou hoje, durante um recorrido pelas áreas afetadas pela catástrofe, que, com toda segurança, o número de vítimas mortais aumentará com o passar das horas, pois há muitas pessoas debaixo dos escombros.

A Procuradoria Geral do Estado, por sua parte, indicou que foram registrados 408 corpos para sua identificação, todos eles em localidades da província de Manabí.

Entre os mortos há nove pessoas que não foram reconhecidas e seis de nacionalidade estrangeira, cujos corpos foram transferidos ao Centro de Investigação de Ciências Legistas de Santo Domingo de los Tsáchilas, onde serão submetidos a autópsias.

"Para que os parentes possam repatriar corpos, a exigência sanitária é praticar uma autópsia", disse o procurador-geral, Galo Chiriboga, segundo um comunicado do Ministério Público.

Quanto aos trabalhos de resgate, segundo o Ministério Coordenador de Segurança, nas localidades de Portoviejo, Manta, Pedernales e Jama trabalham 409 especialistas em busca e resgate de Venezuela, Colômbia, Chile, Peru, El Salvador, Cuba e México, além de 609 bombeiros equatorianos.

Equipes de resgate de Cuenca e Bogotá recuperaram uma pessoa com vida de entre os escombros de um hotel de Portoviejo, segundo afirmou a fonte.

Além disso, 60 médicos de Cuba foram enviados a Portoviejo, Manta e Chone, local no qual foi instalado o Hospital Móvel das Forças Armadas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos