Maduro diz que aumentará ajuda humanitária para o Equador

Caracas, 19 abr (EFE).- O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou que a "terceira equipe de apoio" chegou ao Equador nesta terça-feira e que seu governo aumentará "a solidariedade" com o país, que no sábado passado foi atingido por um terremoto de 7,8 graus na escala Richter.

"Hoje chegou a terceira equipe de apoio e vamos aumentar a solidariedade com o Equador a partir de hoje. Decretei uma ponte aérea de ajuda, de solidariedade, e digo ao povo da Venezuela, ao amor cristão, à solidariedade cristã que temos que estar mais unidos do que nunca", disse.

O anúncio do governante foi feito em discurso no chamado "Congresso da Pátria", na Praça Bolívar de Caracas, no qual Maduro classificou a oposição como "oligarquia mesquinha" por criticar o envio de ajuda da Venezuela ao Equador.

O presidente da Assembleia Nacional da Venezuela (AN, parlamento), Henry Ramos Allup, publicou críticas ao discurso de Maduro pela rede social Twitter.

"Se alguém necessita ajuda humanitária é o nosso pobre país, Venezuela, destruída por devastador e permanente terremoto que já dura 17 anos", comentou.

A bancada opositora do parlamento declarou em janeiro uma "crise humanitária de saúde" que estaria refletida, entre outros aspectos, na severa escassez de remédios, decisão que foi rejeitada pelo chavismo por considerar que esta frase é um convite à intervenção estrangeira.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos