Maduro diz que "golpe de Estado" no Brasil é ameaça para toda a América

Caracas, 19 abr (EFE).- O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, reforçou nesta terça-feira seu apoio à governante brasileira, Dilma Rousseff, ao chamar de "golpe de Estado parlamentar" o processo de impeachment aprovado pela Câmara dos Deputados no domingo, o que considerou uma "ameaça" para toda a América.

"No domingo fomos testemunhas de um acontecimento que, sem dúvidas, constitui um golpe de Estado parlamentar contra a legítima presidente do Brasil, Dilma Rousseff. Quero dizer que esse golpe de Estado no Brasil é uma ameaça para toda a América", disse durante um ato em Caracas.

Maduro afirmou que o processo judicial que visa o impedimento de Dilma "faz parte da ofensiva imperialista para acabar com os governos populares e para implementar outra vez seu modelo neoliberal repressivo".

De acordo com o governante venezuelano, o que ocorreu no Brasil é uma evidência de que "não é só contra a Venezuela" o processo de desestabilização dos governos de esquerda que supostamente está em andamento na região.

As palavras de Maduro foram ditas em discurso no qual também acusou o parlamento de seu país de ter um plano de golpe de Estado contra si e advertiu que "derrotaria" a câmara, de maioria opositora, com base na Constituição.

Após saber a decisão da Câmara dos Deputados brasileira, que admitiu o prosseguimento do processo de impeachment para análise no Senado, Maduro disse que a direita da América está tentando desconhecer a soberania da região.

"A direita do continente desconhece a soberania popular. O que pretendem, desaparecer conosco?", comentou o presidente venezuelano em mensagem publicada na rede social Twitter.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos