Suposto envolvido em morte do jornalista Daniel Pearl é detido no Paquistão

Islamabad, 22 abr (EFE).- A Polícia do Paquistão deteve um suposto envolvido na morte do jornalista americano Daniel Pearl, assassinado no país em 2002, informou nesta quinta-feira à Agência Efe uma fonte da Polícia local.

"A Polícia e os serviços de inteligência detiveram Abdul Rehman ontem à noite na cidade de Karachi. Estava na lista de busca e captura por colaborar no assassinato de Daniel Pearl", disse o porta-voz da delegacia que realizou a detenção, Idrees Alam Bangash.

A fonte informou que Rehman dirigia uma escola islâmica ou madraçal perto de onde o corpo do jornalista americano do jornal "The Wall Street Journal" foi encontrado.

Rehman teria colaborado com Saud Memon, acusado de proporcionar o local onde Pearl foi decapitado e enterrado, e cujo paradeiro é desconhecido.

O detido negou as acusações, de acordo com Bangash.

Segundo o porta-voz policial, Rehman confessou que teve uma reunião com Osama bin Laden e que prometeu lealdade ao antigo líder dos talibãs afegãos o mulá Omar, cuja morte em 2013 foi divulgada no ano passado.

Pearl foi decapitado quando fazia uma apuração jornalística sobre organizações islâmicas extremistas na cidade de Karachi em 2002.

Sheikh Omar Saeed, fundamentalista islâmico nascido no Reino Unido, foi condenado à morte por um tribunal paquistanês em 2002 pelo assassinato de Pearl, enquanto outros três envolvidos foram sentenciados à prisão perpétua.

Khalid Sheikh Mohammed, mentor dos atentados do dia 11 de setembro de 2001 contra as torres gêmeas e que está preso em Guantánamo (Cuba), confessou em 2007 que decapitou Pearl.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos