Taxa de suicídios nos EUA dispara 24% nos últimos 15 anos

Washington, 22 abr (EFE).- Os suicídios cresceram 24% nos Estados Unidos entre 1999 e 2014, o que os situam como a décima principal causa de morte entre os americanos, segundo um relatório publicado nesta sexta-feira pelo Centro para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC, sigla em inglês).

Após uma década e meia de queda, o índice de suicídios voltou a crescer nos últimos 15 anos e, especialmente, durante a segunda metade deste período, pois entre 1999 e 2006, o crescimento anual médio de mortes por suicídio foi de 1%, enquanto entre 2006 e 2014 foi de 2%.

Apesar não fazer parte do período incluído no relatório, o CDC também informou que a tendência de crescimento na taxa de suicídios se manteve durante a primeira metade de 2015.

Entre todos os grupos de idade e em ambos os sexos, o número de mortes por suicídio aumentou, com uma única ressalva, entre os maiores de 75 anos, cujo índice de suicídios caiu ligeiramente.

Uma das faixas de população mais afetadas pelos suicídios é a situada entre 45 e 64 anos, já que quase 30 para cada 100 mil homens pertencentes a este grupo e quase dez para cada 100 mil mulheres se mataram em 2014. Comparando com 1999, a taxa de suicídios para cada 100 mil homens nessa faixa etária era de 21 e, no caso das mulheres, de seis.

Entre 1999 e 2014 também aumentou notavelmente o índice de crianças, adolescentes e jovens que cometeram suicídio, ao passar, por exemplo, de 1,9 para 2,6 para cada 100 mil meninos com entre 10 e 14 anos, e de 0,5 para 1,5 de cada 100 mil meninas com entre 5 e 14 anos.

O grupo mais afetado pelos suicídios continua sendo o dos homens maiores de 75 anos, já que 39 para cada 100 mil se mataram em 2014. No entanto, este número é inferior aos 42 para cada 100 mil de 1999.

Entre as formas de suicídio registradas nos EUA em 2014, a mais comum entre os homens foi através de armas de fogo (55,4%), enquanto entre as mulheres foi o envenenamento (34,1%).

Já entre os principais possíveis motivos para o aumento do índice de suicídios, foram citados o abuso de analgésicos e outros remédios, a deterioração da situação econômica, a falta de tratamento de problemas mentais e, inclusive, a influência da internet e das redes sociais na autoestima dos indivíduos.

Em linhas gerais, os homens seguem cometendo mais suicídios que as mulheres, mas o ritmo de crescimento entre pessoas do sexo feminino foi superior.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos