No Cazaquistão, Margallo quer "recuperar o tempo perdido em maior velocidade"

Belém Anca López.

Astana, 24 abr (EFE).- O ministro interino das Relações Exteriores da Espanha, José Manuel García-Margallo, afirmou neste domingo que seu país marca presença no Cazaquistão "com certo atraso", mas tem o objetivo de "recuperar o tempo perdido em máxima velocidade" com um país de Ásia Central que oferece grandes oportunidades para as empresas.

García-Margallo iniciou neste domingo uma visita oficial de dois dias ao Cazaquistão, na qual se reunirá amanhã com o presidente do país, Nursultan Nazarbayev; com o primeiro-ministro, Karim Masimov, e com o chanceler do país, Erlan Idrissov, com os quais pretende reforçar as relações políticas, econômicas e culturais, além de identificar oportunidades de investimento para ampliá-las e aprofundá-las.

O ministro espanhol, que viaja com uma ampla delegação empresarial, afirmou a jornalistas que o acompanham nesta visita que a Espanha chegou "com certo atraso" à região da Ásia Central e concretamente ao Cazaquistão, mas destacou que se trabalha para "recuperar o tempo perdido".

A agenda hoje do ministro começou com uma visita às instalações industriais que a empresa espanhola Talgo (fábrica Tulpar-Talgo) tem em Astana.

"Um grande sucesso empresarial". Assim o chefe da diplomacia espanhola definiu esta fábrica, que desde sua inauguração, em 2011 entregou 436 vagões com um volume de receita de 300 milhões de euros e que já tem previstos outros 603 vagões até 2020, por 500 milhões de euros, e um contrato de manutenção de US$ 1 bilhão.

"Graças ao sucesso do investimento, aqui puderam entrar no mercado russo, no Uzbequistão com a alta velocidade e estão mais que preparados para dar o salto ao Irã, um país que oferece enormes possibilidades", acrescentou o ministro das Relações Exteriores.

O Cazaquistão, que faz parte da União Econômica Euroasiática junto com Armênia, Belarus e Rússia, é um dos principais aliados da Espanha na Ásia Central, além de ser um dos grandes produtores de gás e petróleo e o maior produtor de urânio do mundo.

Neste sentido, García-Margallo destacou o momento "de mudança" no qual a Espanha chega a este país, no qual estão sendo privatizados grandes conglomerados empresariais que eram estatais e que carece de infraestruturas.

"Quem chega cedo faz o dobro, e a Talgo chegou e está mais que disposta a ser a melhor embaixadora da Marca Espanha nesta parte do mundo", disse o ministro, que apontou que um dos principais objetivos de seu Ministério é o apoio institucional às empresas espanholas que fazem "muito bom" trabalho.

García-Margallo participou de um ato acadêmico na Universidade Euroasiática Gumylev, onde há um centro de língua espanhola chamado "Ruy González de Clavijo", a primeira iniciativa destas características adotada pelo governo espanhol na Ásia Central.

Em seu discurso perante um grupo de estudantes, o ministro definiu esta universidade como a primeira aliada cultural da Espanha no "privilegiado espaço da Ásia Central".

"A embaixada da Espanha em Astana encontrou nesta universidade um sócio confiável e comprometido para promover o ensino do espanhol e nossa cultura no Cazaquistão" acrescentou.

O chefe da diplomacia espanhola ressaltou que o idioma é de enorme utilidade e ajudará os estudantes cazaques a "abrirem uma janela para o continente americano".

Margallo destacou a intensificação das relações culturais entre Espanha e Cazaquistão, outro objetivo desta viagem do ministro ao país centro-asiático.

O chanceler espanhol destacou que o presidente do país "teve a visão de situar o Cazaquistão no centro emergente do espaço comum euroasiático" e também no centro da educação universitária e da pesquisa científica.

Após assegurar que a visão euroasiática se transformou "em uma sólida e pujante realidade", Margallo parabenizou a universidade por seu 20º aniversário e o Cazaquistão por comemorar seu 25º aniversário de independência.

O ministro ressaltou as relações intensas entre Espanha e Cazaquistão nestes anos e disse que isso é provado pelas relações de cooperação entre os dois governos.

Nesta segunda-feira, além das reuniões com as autoridades do país, García-Margallo irá a um fórum empresarial que inaugurará acompanhado pelo ministro cazaque de Investimentos e Desenvolvimento, Asset Issekeshev, a fim de apoiar a posição das empresas espanholas que já operam neste país, e de favorecer o início de atividades por parte de outras que mostraram interesse.

Trata-se, segundo Margallo, de mostrar a "excelência" das empresas espanholas que são "líderes" em setores tecnologicamente muito avançados, como construção, infraestrutura, energias renováveis, gestão de resíduos e águas.

"Um leque empresarial que pode cobrir com vantagens as necessidades deste país, empenhado em dar um longo salto, assim como os demais países da região", apontou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos