Novos ataques na cidade síria de Aleppo matam pelo menos 34 pessoas

Beirute, 28 abr (EFE).- Pelo menos 34 pessoas morreram nesta quinta-feira pelos bombardeios e o disparo de projéteis na cidade síria de Aleppo, a maior do norte do país, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Desses mortos, pelo menos 20 civis, entre eles três menores, perderam a vida por ataques aéreos de aviões de guerra, de origem desconhecida, nos bairros de Bustan al Qasr e Al Kalasa.

A ONG não descartou que o número de vítimas mortais por esses bombardeios aumente porque há feridos em estado grave e desaparecidos.

Por outro lado, outras 14 pessoas, das quais duas eram crianças, morreram pelo impacto de foguetes em áreas sob o controle do regime, como os distritos de Al Midan, Ashrafie e a praça de Saadala al Jabouri, onde também houve 40 feridos.

A agência de notícias oficial síria "Sana" confirmou hoje a morte de nove civis pelo lançamento de foguetes por parte de "organizações terroristas" e pelos disparos de franco-atiradores em Aleppo.

Uma fonte da Chefia Policial nesta urbe indicou à "Sana" que os agressores abriram fogo desde os distritos de Bustan al Qasr e Al Meridian.

A violência aumentou nas últimas semanas em Aleppo, apesar de estar em vigor na Síria um cessar-fogo entre o governo de Damasco e a Comissão Suprema para as Negociações (CSN), principal aliança opositora.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos