Mais dois hospitais são atacados em Aleppo

Beirute, 29 abr (EFE).- Um número indeterminado de mortos e feridos foi registrado nesta quinta-feira por bombardeios contra duas unidades de saúde na cidade de Aleppo, a maior do norte da Síria, disse à Agência Efe um porta-voz da Defesa Civil nesta cidade, Khaled Khatib.

A fonte disse que uma clínica no bairro de Al Marya ficou fora de serviço após um bombardeio de aviões de guerra, enquanto um centro médico do distrito de Bustan al Qasr recebeu o impacto de quatro barris de explosivos jogados por helicópteros militares.

Khatib não pôde confirmar se houve vítimas por causa do ataque na clínica, embora tenha afirmado que houve mortos e feridos no bombardeio em Bustan al Qasr.

O porta-voz da Defesa Civil ressaltou que a situação humanitária em Aleppo "é muito ruim" e que não há nem água nem eletricidade.

Khatib disse que já há uma semana acontecem bombardeios contra bairros residenciais da cidade, o que causou uma deterioração da situação humanitária.

Na quarta-feira passada, pelo menos 50 pessoas morreram após um bombardeio contra o hospital de Al Quds, no bairro de Al Sukari em Aleppo, segundo o último número divulgado hoje pela organização Médicos Sem Fronteiras (MSF), que oferecia apoio à unidade de saúde.

Aleppo é palco de uma onda de violência há sete dias, apesar de continuar em vigor no país o cessar-fogo iniciado em fevereiro e aceito pelo governo de Damasco e pela Comissão Suprema para as Negociações (CSN), principal aliança opositora.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos