Trump lidera entre republicanos, mas perderia para Hillary, aponta pesquisa

Em Washington

  • Scott Audette (L)/Javier Galeano (R)/Reuters

Donald Trump tem 56% de apoio entre os eleitores republicanos dos Estados Unidos, mas perderia para a democrata Hillary Clinton nas eleições presidenciais de novembro, segundo pesquisa divulgada nesta terça-feira (3) pela emissora "NBC" News.

Segundo a pesquisa, realizada entre 25 de abril e 1º de maio, Trump tem apoio entre os eleitores republicanos muito superior ao de seu grande rival na corrida pela candidatura à Casa Branca, o senador pelo Texas Ted Cruz, que alcançou 22%.

Em comparação com uma pesquisa feita entre 18 e 24 de abril, o magnata imobiliário cresceu seis pontos, e Cruz, de origem cubana, perdeu quatro.

O terceiro concorrente na disputa, o governador de Ohio, John Kasich, tem 14% de aprovação, de acordo com a pesquisa, feita com 14.640 adultos (entre eles 12.462 eleitores registrados) e com margem de erro de 1,2%.

Apesar de sua hegemonia na campanha republicana, Trump sairia derrotado nas eleições presidenciais de 8 de novembro por Hillary Clinton, grande favorita para a indicação do Partido Democrata.

Assim, 43% dos entrevistados asseguraram que votariam na ex-secretária de Estado, e 37% no multimilionário nova-iorquino.

Em um eventual duelo com Hillary, Cruz se sairia pior do que Trump, pois 44% elegeriam a ex-primeira-dama, e 30% votariam no senador texano.

No campo democrata, a ex-secretária de Estado mantém um apoio de 54% entre os eleitores de seu partido, 14 pontos percentuais à frente de seu adversário pela indicação, o senador por Vermont Bernie Sanders.

A pesquisa foi divulgada poucas horas antes das primárias no Estado de Indiana, onde Cruz precisa vencer para tentar impedir Trump de alcançar os 1.237 delegados necessários para obter a indicação antes da Convenção Republicana, em julho.

Esses delegados desempenham um papel fundamental porque são eles que designarão o candidato à presidência na Convenção Nacional Republicana, que acontecerá em Cleveland (Ohio).

Uma vitória de Trump em Indiana pode arruinar de maneira definitiva a estratégia conjunta de Cruz e Kasich para barrar o magnata.

Após as contundentes vitórias da semana passada em cinco Estados do nordeste dos Estados Unidos, o empresário nova-iorquino conta agora com 996 delegados, seguido por Cruz (565) e Kasich (153).

Se Trump vencer em Indiana, onde as últimas pesquisas o colocam na liderança, e onde o vencedor leva a maioria dos 57 delegados republicanos em jogo, se aproximará muito da indicação.

Em Indiana, também parte como favorita Hillary Clinton, que acumula 2.165 delegados, frente aos 1.357 de Sanders. No campo democrata são necessários 2.383 delegados para garantir a indicação.

O ganhador das eleições presidenciais substituirá o democrata Barack Obama na Casa Branca, o primeiro presidente negro da história dos Estados Unidos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos