Para patriarca ortodoxo russo luta antiterrorismo é uma "guerra santa"

Moscou, 6 mai (EFE).- O patriarca da Igreja Ortodoxa da Rússia (IOR), Kirill, afirmou nesta sexta-feira que a luta contra o terrorismo é uma "guerra santa", em um ofício religioso no dia de São Jorge, patrono de Moscou e dos exércitos russos.

"Hoje nossos guerreiros participam de combates no Oriente Médio, e não é um agressão nem ocupação, não é a imposição de uma ideologia nem o apoio a determinados governos, é uma luta contra um inimigo terrível, o terrorismo", disse em sua homilia.

Kirill se referia aos militares russos que participam das operações na Síria contra o terrorismo jihadista, que definiu como um "mal não só para o Oriente Médio, mas para todo o gênero humano".

"Por isso a guerra contra o terrorismo é uma guerra santa. Queira Deus que isto se entenda no mundo todo, que ninguém divida os terroristas em bons e maus, que ninguém vincule a guerra contra o terrorismo à conquista de objetivos não declarados, mas presentes no pensamento político", disse.

Só assim, acrescentou o patriarca, "a guerra contra esse inimigo, levada a cabo com meio honestos, também será santa".

Kirill indicou que a Grande Guerra Pátria, como na Rússia se conhece o período da Segunda Guerra Mundial, quando a União Soviética lutou contra a Alemanha nazista, também foi uma guerra santa, porque os soldados russos combateram por seu povo contra um "inimigo mal intencionado e cruel".

"Oremos para que as Forças Armadas de nossa pátria sempre e em todas as circunstâncias sejam fiéis à linha espiritual que sua participação significa não só na luta contra o mal, mas na luta pela justiça e a salvação de vidas humanas", concluiu.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos