Responsável por assassinar 17 mineradores na Venezuela é morto em operação

Caracas, 6 mai (EFE).- O equatoriano Jamilton Andrés Ulloa Suárez, conhecido como "Topeira", chefe da quadrilha responsável pela morte de 17 mineradores no sudeste da Venezuela, morreu nesta sexta-feira durante uma operação policial depois de mais um mês de buscas, informaram as autoridades.

"Após uma perseguição precisa, hoje foi morto o 'Topeira', chefe do grupo paramilitar criminoso que assassinou um grupo de mineradores", informou o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, durante um ato de governo em Caracas.

O ministro do Interior do país, Gustavo González, indicou que a morte do criminoso ocorreu depois de um "árduo trabalho" do Serviço Bolivariano de Inteligência (Serbin) para descobrir seu paradeiro.

Ulloa, cujo grupo contava, de acordo com as autoridades, com pelo menos 18 assassinos de aluguel, foi morto em Tumeremo, no estado de Bolívar, no sudeste da Venezuela, disse o ministro.

O equatoriano era uma das 12 pessoas acusadas pelo envolvimento na morte dos 17 mineradores, assinados em março em Tumeremo. As investigações afirmam que o motivo do crime seria o controle territorial da região, rica em ouro, diamantes e minerais.

Maduro destacou que com a morte de Ulloa as autoridades mostram que estão combatendo a violência e a segurança.

A morte do "Toupeira" ocorre três dias depois de José Antonio Tovar Colina, líder de um dos grupos mais perigosos da Venezuela, ter sido assassinado durante uma operação da Guarda Nacional Bolivariana, depois de meses de buscas.

"Dessa forma, iremos a fundo contra os grupos assassinos e criminosos de sequestradores e paramilitares", disse Maduro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos