Chanceler interino da Áustria não vê motivo para antecipar eleições no país

Viena, 9 mai (EFE).- O líder do Partido Popular da Áustria, Reinhold Mitterlehner, novo chanceler internino do país, afirmou nesta segunda-feira que não vê motivo para a convocação de eleições antecipadas apesar da renúncia do chefe do governo e do Partido Social-Democrata, Werner Faymann.

Mitterlehner confia na manutenção da estabilidade na grande coalizão de governo formada pelos dois partidos desde 2013 e reiterou que não há razão para antecipar o pleito, previsto para ocorrer em 2018.

O político conservador, atualmente vice-chanceler, assumirá hoje de forma interina as funções de chefe de governo, sendo empossado pelo presidente do país, Heinz Fischer.

O líder do Partido Popular afirmou que a saída de Fayman do governo e da liderança social-democrata não irá afetar a política que tem sido aplicada para os refugiados que chegam ao país, que prevê o reforço do controle das fronteiras e o endurecimento dos critérios de asilo e imigração.

O Partido Popular vai realizar uma reunião amanhã para analisar as consequências da renúncia de Faymann. Michel Häupl, prefeito de Viena e histórico líder social-democrata, assumirá provisoriamente a direção da legenda.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos