Direita apresenta moção de censura contra o governo da França

Paris, 10 mai (EFE).- Os partidos conservador Os Republicanos e centrista União de Democratas e Independentes (UDI) apresentaram nesta terça-feira uma moção de censura contra o governo da França, que recorreu ao artigo 49.3 da Constituição para aprovar sua polêmica reforma trabalhista sem o voto da Assembleia Nacional.

A moção, que a princípio tem poucas chances de prosperar em virtude da repartição de forças parlamentares, será submetida a votação na próxima quinta-feira.

Se for aprovada, o governo deve renunciar, mas se for rejeitada o projeto de lei defendido pela ministra de Trabalho, Myriam El Khomri, será abordado em primeira leitura pela Assembleia Nacional e passaria ao Senado.

A direita tinha até 24 horas para apresentar a moção desde que o primeiro-ministro, Manuel Valls, anunciou hoje que se esquivaria do debate parlamentar, mas apresentou sua censura ao governo dentro do prazo.

O texto no qual a direita justifica sua decisão, segundo os veículos de imprensa franceses, ressalta que se o governo se vê obrigado a recorrer a esse instrumento constitucional é devido ao "ponto morto" ao qual o presidente, François Hollande, conduziu o país.

Valls, por outro lado, afirmou hoje que recorreu a esse controverso artigo por considerar essa reforma "um bom texto para o país" e que por essa razão deve se adotada o mais rápido possível.

A última vez que o governo francês recorreu ao artigo 49.3 foi em 2015 com a lei de liberalização econômica, mais conhecida como "lei Macron" pelo nome de seu autor, o ministro da Economia, Emmanuel Macron.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos