Governo e rebeldes iemenitas fazem acordo para liberar metade de prisioneiros

Sana, 10 mai (EFE).- O governo do Iêmen e os rebeldes houthis concordaram nesta terça-feira, dentro das conversas de paz no Kuwait, de libertar metade dos prisioneiros de guerra dos dois lados no final de maio, informou a televisão oficial iemenita.

A emissora anunciou que a equipe negociadora encarregada de estudar o assunto dos presos chegou a um acordo que estipula a libertação de 50% dos prisioneiros.

Isso vai acontecer nos próximos 20 dias, depois de as partes em conflito trocarem listas com os nomes dos presos.

Este é o primeiro acordo alcançado entre o governo iemenita e seus oponentes - os houthis e as forças do ex-presidente Ali Abdullah Saleh - durante as negociações de paz que começaram há três semanas no Kuwait.

Em 28 de março, a coalizão militar liderada pela Arábia Saudita e pelos rebeldes houthis trocaram nove soldados sauditas por 109 milicianos insurgentes capturados na fronteira saudita-iemenita.

As negociações de paz entre o governo do presidente iemenita, Abdo Rabbo Mansour Hadi, e os insurgentes começaram em 21 de abril, mas foram interrompidas mais de uma vez por choques na mesa negociadora e confrontos no terreno.

Ao mesmo tempo, um cessar-fogo está em vigor no Iêmen para facilitar o processo negociador, mas ele foi violado pelos dois lados, incluída a coalizão árabe-sunita, que intervém no Iêmen contra os rebeldes xiitas.

A guerra no país se intensificou em março de 2015 com a intervenção militar dessa aliança liderada pela Arábia Saudita depois de os rebeldes expulsarem Hadi do Iêmen.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos