Ferido em atentado na Bélgica processa metrô por indenização injusta

Bruxelas, 11 mai (EFE).- Um cidadão que ficou ferido no atentado terrorista na estação de Maelbeek no último dia 22 de março denunciou à companhia que controla o metrô de Bruxelas por não garantir uma indenização justa às vítimas.

O advogado do ferido, Jean-Paul Tieleman, explicou ao jornal "La Dernière Heure" que o processo de compensação das vítimas previsto pela empresa de transporte, que criou um comitê para estabelecer quanto as seguradoras devem pagar, não garante uma "compensação" justa ao seu cliente.

Tieleman antecipou que outros quatro feridos em Maelbeek também entraram com ações semelhantes. A primeira audiência está marcada, a princípio, para o dia 26 de maio.

A vítima alega que, com a indenização atual, o metrô de Bruxelas descumpre uma lei de 1989, relativa ao seguro de responsabilidade obrigatória para veículos motorizados, e outra de 2007, sobre as compensações aos afetados por ataques terroristas.

Além disso, o advogado pediu que a Justiça designe um médico para avaliar o alcance, a gravidade e as sequelas das lesões sofridas por seu cliente, afirmou o "La Dernière Heure".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos