Ex-presidente Collor afirma que o sistema político "está em ruínas"

Brasília, 11 mai (EFE).- O senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello não revelou nesta quarta-feira qual será seu voto em relação ao possível impeachment de Dilma Rousseff, mas opinou que o sistema político "está em ruínas", durante a sessão do Senado que decidirá sobre a abertura do processo contra a chefe de Estado.

Em seu discurso, Collor lembrou o processo de impeachment que ele enfrentou em 1992 e comentou que, dois anos depois, foi absolvido de todas as acusações na Justiça porque "não houve crime" em seus atos.

Collor garantiu que "não foi por falta de aviso" que Dilma está na atual situação e assegurou que ofereceu seu conselho várias vezes à presidente, mas foi desprezado.

Apesar de não ter revelado seu voto, Collor criticou o governo Dilma pela "negligência da política", a deterioração da economia, por ter "inchado" a máquina do Estado e por uma suposta "obstrução da justiça".

O ex-presidente deixou em março o PTB por estar em desacordo com a posição do partido em favor do impeachment de Dilma Rousseff e filiou-se ao Partido Trabalhista Cristão (PTC).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos