Procurador pede investigação por suposto suborno a Cristina Kirchner

Buenos Aires, 12 mai (EFE).- O procurador federal argentino Carlos Rívolo pediu nesta quinta-feira a abertura de uma investigação por suposto suborno à ex-presidente Cristina Kirchner no caso relacionado à empresa Los Sauces, da qual a ex-líder é acionista, confirmaram a Agência Efe fontes jurídicas.

A investigação, iniciada a partir de uma denúncia apresentada pela deputada opositora argentina Margarita Stolbizer em abril, busca determinar se os imóveis que a empresa possuía foram utilizados para negócios irregulares com empresários ligados à obra pública.

Rívolo já tinha acusado a ex-presidente e seu filho Máximo Kirchner anteriormente pelos supostos crimes de enriquecimento ilícito e falsificação de documentos públicos. Stolbizer ampliou a denúncia no dia 9 de maio e solicitou que também fosse incluída uma investigação por suposto suborno.

O procurador agora ampliou seu requerimento para incluir esse suposto crime com base na denúncia e apresentou sua determinação ao juiz federal encarregado do caso, Claudio Bonadio.

De acordo com as fontes, o procurador incluiu na acusação os empresários Lázaro Báez, empreiteiro detido por suposta lavagem de dinheiro, e Cristóbal López, investigado por suposta fraude ao fisco argentino, mencionados por Stolbizer em suas denúncias.

Segundo Stolbizer, a suposta alteração dos documentos da Los Sauces permitiu também modificar "o conteúdo dos depoimentos apresentados" por Cristina Kirchner quando era presidente, por isso pediu a investigação de um suposto enriquecimento ilícito da ex-mandatária.

Na denúncia há referências ao modo, segundo Stolbizer, "irregular" no qual eram licitadas obras públicas às empresas de Báez e, "de forma paralela", a então presidente "recebia dinheiro mediante um acordo que tinha a aparência de vínculo comercial, mas encobria uma promessa, em sua condição de funcionária pública, para conceder mais obras públicas e omitir controles do Estado".

Na semana passada, a justiça ordenou a inspeção de vários escritórios em Buenos Aires em busca de documentos que permitam saber quem pagou as despesas de quatro imóveis de Los Sauces. Se forem reunidos elementos suficientes de prova, o juiz deverá decidir se convocará ou não a ex-mandatária para depor.

A ex-presidente está envolvida em outro caso, no qual se averiguam supostas irregularidades na empresa hoteleira Hotesur, da qual Cristina também tem ações.

Segundo a justiça, o luxuoso hotel Alto Calafate, controlado pela Hotesur, teria funcionado como alojamento "fantasma" para supostos negócios irregulares com Báez.

Cristina Kirchner também é acusada em uma investigação por irregularidades no Banco Central, a cargo do juiz federal Claudio Bonadio, o mesmo responsável pelo caso Los Sauces.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos