China deseja "estabilidade política" para Brasil após suspensão de Dilma

Pequim, 13 mai (EFE).- O governo chinês desejou nesta sexta-feira "estabilidade política" no Brasil, depois de o Senado brasileiro aprovar ontem a suspensão temporária da presidente Dilma Rousseff de suas funções.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Lu Kang, disse em entrevista coletiva em Pequim que seu país está acompanhando o desenrolar da crise política no Brasil, um de seus principais parceiros comerciais e destinos de investimento na América Latina.

"Esperamos que todas as partes administrem a atual situação e mantenham a estabilidade política e o desenvolvimento econômico e social", disse Lu, que evitou demonstrar claramente apoio à Dilma quando perguntado especificamente a respeito.

O vice-presidente Michel Temer assumiu interinamente a presidência e já anunciou o novo ministério, com quem a China se comprometeu hoje a trabalhar.

O porta-voz diplomático chinês destacou que "China e Brasil são parceiros estratégicos integrais. Damos grande importância ao desenvolvimento da relação bilateral e também acreditamos que as relações amistosas e a cooperação mutuamente benéficas continuarão a trazer progressos".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos