Governo da Guatemala considera legal processo que afastou Dilma

Cidade da Guatemala, 16 mai (EFE).- O ministro das Relações Exteriores da Guatemala, Carlos Raúl Morales, afirmou nesta segunda-feira que o processo que afastou a presidente Dilma Rousseff do cargo foi realizado dentro da lei.

"Até este momento tudo se realizou apegado à lei", declarou o chanceler aos jornalistas e acrescentou que a Guatemala, um país que avalia os princípios democráticos e o direito interno de cada nação, está acompanhando a situação.

A decisão do Senado, que na quinta-feira passada instaurou um julgamento político que pode cassar o mandato de Dilma, afastou a governante do cargo durante 180 dias e levou ao poder o até agora vice-presidente, Michel Temer.

"A Guatemala está vigilante para que não se viole" nem a Constituição nem a legislação brasileira, explicou Morales, que reiterou que este processo é "um assunto interno" do Brasil.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos