Jornalista que falou de filho secreto de Morales agora diz que ele não existe

La Paz, 16 mai (EFE).- O jornalista boliviano Carlos Valverde, que em fevereiro causou um terremoto político ao afirmar que o presidente Evo Morales e sua ex-namorada Gabriela Zapata tiveram um filho de quem não se sabia nada até então, garantiu nesta segunda-feira que recebeu nova informação que comprova que essa criança sequer existiu.

"Eu tenho a informação de que o filho de Evo Morales com Gabriela Zapata efetivamente não teria nascido", disse Valverde.

"Existe uma criança, de acordo com informação que eu tenho, mas essa criança não é filho de Gabriela Zapata nem de Evo Morales, muito menos dos dois. Gabriela Zapata esteve usando esse menino para se passar por seu filho", acrescentou o jornalista.

A afirmação de Valverde é divulgada pouco depois que uma juíza falou sobre a "inexistência física comprovada da criança", após investigar o caso devido a um processo de Morales contra Zapata para forçar-lhe a apresentar o menor se realmente estivesse vivo.

Na ocasião, o governante reconheceu que teve um filho com Zapata em 2007, mas que este morreu logo após ter nascido, o que Zapata contradisse afirmando que o menor estava vivo.

A confusão sobre a criança aumentou quando alguns ministros afirmaram que o presidente reconheceu legalmente o menor e inclusive ajudou com atendimento médico, enquanto outros asseguraram que não existiu.

A polêmica sobre a criança e, além disso, a acusação de Valverde de um suposto tráfico de influência entre Morales e Zapata a favor da empresa chinesa Camce com contratos ocuparam o interesse dos veículos de comunicação, da oposição e do governo desde fevereiro.

Morales atribuiu a esse escândalo a derrota que sofreu no referendo constitucional de fevereiro quando a maioria dos bolivianos rejeitou sua proposta de reforma constitucional para poder buscar em 2019 um quarto mandato para governar até 2025.

Parlamentares governistas que averiguaram a denúncia sobre a Camce absolveram o chefe de Estado das acusações de tráfico de influência, mas os opositores discordaram dessa decisão.

Zapata está detida desde o final de fevereiro acusada de vários crimes, entre eles o de enriquecimento ilícito, acusações às quais somou-se hoje a de "organização criminosa" por uma denúncia apresentada pelo ministro da Presidência, Juan Ramón Quintana.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos